Você já comprou perfume pela Internet? Lembro de ter ouvido dizerem que “vender perfumes pela Internet não dá certo” ou que “as pessoas não compram sem sentir o cheiro”.

As lojas virtuais de cosméticos, perfumes e medicamentos pela Internet vem ganhando espaço no gosto do consumidor brasileiro, ou melhor, da consumidora brasileira, uma vez que cerca de 70% das compras nesse segmento são feitas por mulheres.

A categoria beleza e saúde que em 2006 detinha 6% de participação no volume de pedidos do e-commerce brasileiro, dobrou seu marketshare e atualmente representa 12%, ocupando a terceira colocação entre as categorias mais vendidas.

Podemos dividir o comportamento de compras nessa categoria em dois perfis.

O primeiro é com relação à venda de medicamentos. A entrada do público idade superior a 50 anos no e-commerce brasileiro tem ajudado a venda de medicamentos pela Internet, já que esse público gasta mais com remédios e aos poucos vem descobrindo que comprar medicamentos em farmácias virtuais pode significar uma ótima economia.

O segundo perfil tem a ver com o aumento do público feminino no e-commerce. As mulheres já representam a maioria como e-consumidoras. Cada vez mais ocupadas com a correria do dia-a-dia, elas tem encontrado nas lojas virtuais, preço e comodidade para comprar seus cosméticos.

As oportunidades pra quem quer vender beleza e saúde pela Internet são boas. Veja abaixo algumas características que tornam esse segmento atraente:

  1. Perfumes, cosméticos e medicamentos tem baixo peso e volume. Isso significa que armazenagem, manuseio e frete são mais simples e baratos. Isso é uma grande vantagem no e-commerce.
  2. Perfumes, cosméticos e medicamentos tem alto valor agregado. Ótimo! Significa dizer que em sua maioria são produtos pequenos, leves e caros! Quer coisa melhor pra vender pela Internet?
  3. Alta frequência de compra. São produtos de recompra. Mensalmente o público mais idoso compra medicamentos, as mulheres compram cremes e shampoos e os esportistas compram suplementos alimentares. Se a loja virtual oferecer qualidade na entrega e atendimento, terá um público fiel sempre comprando.
  4. O público com idade acima de 50 anos vem aumentando entre os e-consumidores. Se observarmos a pirâmide etária do Brasil, veremos que a população nessa faixa tenderá a aumentar consideravelmente nos próximos anos. É um público que consome mais medicamentos que em outras faixas etárias.
  5. Mulheres compram cada vez mais pela Internet. São elas as grandes consumidoras de cosméticos.
  6. Cada vez mais brasileiros se preocupam com alimentação e corpo. Complementos, suplementos e produtos diferenciados, que tenham o apelo de vida saudável, tem público cada vez maior no e-commerce.

O sucesso da venda de beleza e saúde na Internet brasileira é real. Há vários casos de sucesso por aí pra provar. Empresas tais como Sephora, Netfarma, Onofre, Beleza de Mulher, Beleza na Web e Corpo Perfeito, são alguns casos de sucesso. Dafiti e Renner já descobriram que não dá pra ficar de fora desse segmento.

De olho nessa tendência, a Ecommerce School lançou o curso de E-commerce para o Segmento de Beleza e Saúde. O curso tem carga horária de 56 horas, sendo 28 horas presenciais e mais 28 horas de material complementar. Ao final os alunos visitam uma loja virtual do segmento, onde aprendem ao vivo como funciona uma operação de e-commerce desse tipo. O corpo docente é formado por professores com ampla experiência nesse segmento: Edilaine Godoi, diretora de e-commerce na Netfarma, Camila Gonçalves fundadora da Beleza de Mulher, Liliane Ferrari, uma das personalidades mais influentes nas mídias sociais brasileiras, Marcio Orlandi, diretor na Natura, Felipe Pavoni, gerente de novos negócios no Boticário e Thiago Iyeiri, diretor de logística na Beleza na Web.

fonte: www.ecommercenews.com.br

Leave a Reply